Quando era miúdo, talvez 10 anos, fiz com os meus amigos vizinhos uma "cidade" com estradas, casas em barro etc
Como estavamos no mato e esse mato era uma area agrícola fizemos a brincadeira onde cada um construiu a sua casa e a sua loja a vender os seus produtos... Café, milho, ginguba etc


As casas e lojas eram feitas em cubinhos tipo Lego de barro que tiramos da "baixa" do Arimbo do Carlos que era perto do espaço onde estavamos a brincar na Aricanga ( hoje os meus filhos e eu brincamos com Legos a sério :-) ).. Toda a "baixa" dos arimbos daquela area que incluia o arimbo do meu pai, deve ter sido num passado muito longínquo o leito de um rio porque ali, tudo era areia na base, barro nas laterais e cavava-se meio metro e tinhamos água pura, tipo nascente, que era, aliás a água que bebiamos e usavamos para todos os efeitos. Neste espaço eram também as hortas e os pomares de todos nós ( isto é apenas uma nota )


Os restos da máquina de costura uma agulhas e restos de linhas, da minha mãe serviram para fazer os "sacos de café", "de milho" ... Etc
 

Cada um tinha os seus brinquedos feitos com latas de sardinha, caricas de cerveja e no meu caso "fiz mesmo um camion de madeira" com preguinhos "ponta paris" ( nunca soube de onde saiu este nome para este preguinhos :-) ...)", com suspensão feita com restos de cintas de embalagem em aço que encontrei numa lixeira... Como tinha um "camion" conseguia carregar mais e entregar as mercadorias mais depressa e esta mercadoria tinha que ser carregada nos nosso veículos e entregues através das estradas que haviamos feito no espaço da brincadeira.


Como dinheiro fomos buscar uma rodelas de metal que eram os restos de uma fábrica que fazia crivos para peneirar o café... Contavamos x rodelas para cada um dos jogadores no inicio do jogo.


Ganhava quem conseguia ficar com mais "dinheiro" no fim do jogo e tinha que ser capaz de convencer os outros a comprarem o seu café, milho etc ... Mas como convencer um cliente que também tinha os mesmos produtos para nos vender :-)  tinhamos que "ter uma capacidade inventiva" super para conseguirmos dizer ao nosso "cliente" que o nosso café ( ou milho ou ginguba ...) era  melhor que o dele !!! Nem imaginam o que se inventava !!


Ora, a brincadeira perdeu o interesse em pouco tempo... O acto de construção das ruas, das casas, das lojas, dos carrinhos e demais instrumentos foi muito bom e motivante... Mas, logo que começamos o jogo em muito pouco tempo  TODOS tinhamos tudo ... 

"Saturou o mercado" ... :-) ... Todos tinhamos já tudo dos outros e não havia mais "nada a vender a ninguém"  !!

Lembro-me que na ultima brincadeira "vendi o meu camion com molas de aço" a um dos meus amigos !!! GrandaBurro ... Aquele camion custou-me "horas de trabalho" e era um brinquedo em qualquer parte do Mundo ... Ele ficou com o camion por umas dezenas de "rodelas de metal de uma lixeira" que "valia dinheiro no nosso jogo" ... Quando acabou o jogo ficou foi a "rir" do "parvo de mim" :-) !!!

Ainda tentamos inovar indo buscar coisas como amoras, sisal, e mesmo coisas que se encontravam na lixeira da cidade,  mas de facto, a brincadeira começou a ficar "chata" e a determinada altura fomos "mazé jogar à bola" que era mais interessante e podiamos correr pelos campos fora...  

Extrapolando, e hoje, adulto, pondero... É assim o Mundo... De facto se exponenciarmos esta brincadeira para o mercado Mundial constataremos que a saturação do mercado é apenas uma questão de tempo. Temos que levar em conta o tamanho e dimensão do Planeta, mas, de facto há-de haver um momento em que todos vamos ter tudo o que precisamos e esteremos perante um mercado saturado... A a "brincadeira, REAL" vai ficar muito aborrecida porque já não vai haver "compradores"...   À VELOCIDADE que as coisas hoje são produzidas cada vez se satura o mercado de um produto mais depressa ...

Hoje por exemplo, já não se muda de telemóvel ou mesmo de carro, porque "precisemos" ... Muda-se por modismo na maior parte dos casos... Em quase todos os produtos se está a chegar ao que eu chamo de "Ponto Swatch" ... Deixou-se de vender relógios para tempo e passou a vender-se "fashion" ... Isto mais dia menos dia vai acabar !!

Gostava de poder ter uma máquina para viajar no tempo e vir ver como é que vamos fazer quando isso acontecer !!